Talline Sapatilhas
Uncategorized

A fase dos porquês!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

Se nós adultos temos milhares de dúvidas, imaginem as crianças que ainda estão construindo suas impressões do mundo!

Se tornar pai ou mãe exige de nós muito mais do que parece e enfrentar a fase dos porquês está entre uma das missões mais difíceis, afinal se eles querem respostas, nós temos que saber como dá-las da melhor forma!

A idade dos porquês chegou por aqui e eu quero compartilhar com vocês!


De acordo com o livro “Perguntas que as crianças fazem & como respondê-las” (Editora Globo), lançado pela médica e membro da Royal College of Physicians Miriam Stoppard, autora de mais de 50 livros e uma das maiores autoridades sobre maternidade, assistência à criança e saúde da mulher, “é a partir do momento em que consegue formular perguntas – por volta dos 2 anos de idade -, [que a criança] começa a bombardear os pais com [perguntas como] ‘Por quê?’, ‘O quê?’, ‘Onde?’ e ‘Como?’”.

Se a pergunta é algo como: O que é céu? Porque a chuva existe? ou algo assim, fica fácil, mas geralmente elas também envolvem muito mais, como por exemplo: De vem os bebês? Ou quem é Deus? 

Aqui estamos vivenciando esta fase em ritmo hard, ela chegou mais cedo do que eu pensei que chegaria!

Três situações esta semana me deixaram com a certeza de quem vem chumbo grosso pela frente!

1- Fernanda e os bebês na barriga!

Outro dia eu brinquei com a Fernanda que a moça sentada ao nosso lado no Shopping tinha engolido um bebê e que ele estava lá no barrigão dela!
Eis que estávamos no ônibus outro dia e ela vê uma senhora gordinha e solta: Mamãe aquela vovó engoliu um bebê, não é?!
Eu pedi que ela ficasse quietinha e ela soltou em alto e bom som:
Porque eu tenho que ficar quieta? Eu não posso falar que aquela mulher engoliu um bebê na barrigona dela?
Fuén, fuén, fuén! Morri de vergonha, desconversei e achei que a conversa tinha acabado, mas ela insistiu:
-Mamain, porque os bebês ficam na barriga?
-Mamain porque a barriga da moça cresce quando tem bebê?
Eu tentei explicar da melhor forma, mas acho que as perguntas logo menos vão se repetir!

2- Fernanda e o casamento da mamãe!
A Fê viu um vídeo de casamento enquanto eu passeava pelo Facebook e me perguntou se eu havia casado com o papai igual na foto (de um quadro que temos na sala). Eu respondi que sim e mostrei para ela um vídeo dos melhores momentos do nosso casamento!
Ela imediatamente reconhecia todos e entre muitas outras perguntas veio:
-Cadê a Fernanda?
Expliquei que ela ainda não tinha nascido que era só um sonho da mamãe e do papai e ela não entendeu o motivo pelo qual ela não estava na festa, chorou, reclamou e disse que ia pedir pro pai achá-la na festa pq eu era malvada e tinha esquecido ela em casa sozinha! Vê se pode?!
3- Fernanda e o adeus pra Bisa!
Na semana passada tivemos que dar adeus para minha avó! Viajamos, eu e a Fernanda para o PR e chegamos direto no velóriio, eu até tentei deixá-la de fora e entrar sozinha mas ela no meio de um monte de gente “diferente” não queria ficar longe de mim, até pelo fato de me ver chorando e eu optei por levá-la comigo!
Ela viu a bisa, pediu pra fazer carinho e eu deixei!
para ela aquilo era apenas um sono do qual a bisa acordaria!
Tentei fazê-la dormir, depois tentei mandá-la para casa da tia das minhas sobrinhas evitando assim que ela não fosse ao cemitério, mas foi tudo em vão e ela permanecia ali, grudada em mim! Seguimos o cortejo e lá vai ela!
Na hora do sepultamento, mesmo que eu tenha ficado um pouco longe ela viu tudo!
Um vento forte e ela solta:
-Mamain vai chover?
Eu respondi que iria chover sim e veio o monte de porquês!
-Porquê vocês vão deixar a bisa ali, dormindo na chuva?
-Porquê a bisa não acorda?
-Porquê a cama da bisa tem uma tampa?
Eu tentei explicar tudo de forma bonitinha, e as perguntas não paravam!
Um saia justa enorme!
Eu me virei como pude, levando em consideração que ela só tem 2 anos e quase 3 meses e que explicações complexas seriam em vão! Usei metáforas, misturei a realidade com a magia e parece que tudo deu certo!

As dicas são:
-Nunca ignore uma dúvida do seu filho! Sabemos que são muitas nessa fase, mas respire e permita-se ser a fonte de informação mais dedicada de todas!
-Se não souber o que vai responder na hora, diga que depois responderá e assim o faça quando se achar preparado!
-Esteja sempre de acordo com o seu parceiro, assim as respostas sempre seguiram a mesma linha de raciocínio
-Leve em consideração a capacidade de raciocínio e a idade do seu filho, nem de mais e nem de menos, seja a medida correta para matar a dúvida sem deixá-lo frustrado com a simplicidade ou mais enrolado ainda com a complexidade da resposta!
-Nunca minta, isso pode levar seu filho a duvidar de você quando estiver sendo verdadeiro!
-Existe hora de fantasiar e hora de explicar a realidade, saiba ter equilíbrio entre as coisas!
Outra dica muito boa é se a pergunta for muito “cabeluda” devolvê-la a criança assim você saberá o que ela sabe a respeito do assunto e de onde veio a dúvida e assim poderá responder da melhor forma possível!

E aí? Vamos anotar os porquês e montar um manual?


Sobre o Autor

Geisa Simonini

Uma escorpiana geniosa, brava e determinada. Estudei Administração e Marketing e sempre atuei na área comercial e de eventos. Tenho uma cabecinha cheia de idéias e adoro trabalhar com pessoas, afinal para mim, tudo que a vazio de pessoas não faz muito sentido. Sou doidinha por redes sociais e ligada 24 horas por dia, sabe aquela pessoa que não pára? Essa sou eu!
Mas se for para me resumir mesmo: Sou a mãe da Fernanda (e da Camille que ainda está no forninho) e da função de mãe nasceu esse blog onde compartilho com vocês nossas histórias, dia-a-dia e aprendizados

Publicidade

Parceiros

Siga-nos no Instagram

Voltar ao topo