Talline Sapatilhas
Uncategorized

8 de julho: Dia Mundial da Alergia

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×


O dia 8 de julho é o Dia Mundial da Alergia. A data definida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) foi criada com o intuito de alertar as pessoas sobre o assunto. Segundo a OMS somente no Brasil, 35% da população sofre desse mal. Em épocas frias, como o inverno, os casos alérgicos se tornam bem mais comuns pois as pessoas ficam mais tempo em locais fechados ou então utilizam mantas, casacos e roupas que por muito tempo ficaram guardados, desencadeando alergias de pele e respiratórias.

Normalmente, o sistema imunológico defende o corpo de substâncias possivelmente nocivas, como as bactérias, por exemplo. Porém, em algumas pessoas, o organismo apresenta uma sensibilidade anormal desencadeada por alguma substância que costuma ser inofensiva, como um alimento ou mesmo a poeira da casa, ocasionando a alergia.  “A pessoa alérgica é aquela que reage a um determinado estímulo que é considerado normal para as outras pessoas. É preciso ficar atento pois além das alergias respiratórias (como rinite), muito comuns no inverno, existem outros diversos tipos de reações alérgicas que não estão atreladas à nenhuma estação e também requerem cuidados”, afirma a Dra. Ana Paula Castro, alergista e imunologista do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

A Dra. Ana Paula separou uma breve explicação dos principais tipos de alergias e seus sintomas mais comuns, para que as pessoas possam aprender mais sobre o assunto, identificar o que pode estar acontecendo com elas e procurar a ajuda de um especialista.

Alergia a alimentos
Alguns dos principais sintomas são inchaço ou coceira nos lábios, diarreia, vômitos e até mesmo rouquidão. A alergia alimentar geralmente começa na infância, mas pode ocorrer em qualquer idade. Felizmente, muitas crianças se livram delas mais velhas. Entretanto as alergias a amendoim, frutas secas e frutos do mar tendem a durar a vida toda, em função das substâncias encontradas nesses alimentos. O ideal é procurar um médico caso desconfie que tem algum dos sintomas e evitar os alimentos que causem a reação se a alergia for comprovada.

Alergias da pele
As pessoas alérgicas têm a pele normalmente mais seca do que o restante, e com a temperatura baixa do ambiente, e banhos quentes prolongados, a pele tende a ficar mais sensível, áspera e irritadiça e isso piora com o contato de certos tecidos (principalmente no inverno, quando normalmente se usam texturas mais grossas como lãs, felpos etc). Além de procurar um médico para avaliar a reação, também é válido evitar o uso de muito sabonete nos locais atingidos, para não ressecar ainda mais a pele. A adequada hidratação ajuda bastante na melhora do ressecamento.

Alergias respiratórias
As alergias respiratórias são causadas por alérgenos presentes no ar, contaminam o ambiente. Entre eles estão a poeira, mofo, ácaros, pólens de plantas, entre outros. Geralmente causam espirros, coriza, coceira nos olhos, falta de ar, tosse e dores de cabeça e podem desencadear doenças como a rinite, asma e a sinusite. Roupas, cobertores e edredons, guardados por muito tempo, também podem conter uma concentração maior de ácaros e mofo e desencadear crises respiratórias, portanto, devem ser lavados e arejados com frequência.

Alergia a medicamentos
Reações adversas a medicamentos são comuns e variam de efeitos mais moderados como náusea e vômitos à anafilaxia (dificuldades respiratórias). Normalmente os principais sintomas das alergias medicamentosas são coceira na pele ou olhos, erupções cutâneas, inchaço dos lábios, língua ou rosto e urticária. Se a pessoa perceber qualquer sintoma após o uso de um medicamento deve procurar seu médico, que avaliará se é um efeito colateral do medicamento, ou então, uma reação alérgica.

Alergia a picadas de insetos
A alergia a picada de insetos, também conhecida como estrófulo, ocorre com mais frequência em crianças até 10 anos. Os sintomas são lesões da pele, onde comumente aparecem pápulas (bolinhas) sobre uma área da pele avermelhada. Algumas vezes, dependendo da sensibilidade da pessoa, toda região do corpo pode ficar inchada e vermelha. O número de lesões é variável e a coceira é sempre muito intensa. Os insetos que normalmente mais causam alergias são pernilongos, borrachudos, formigas, carrapatos e pulgas. Deve-se evitar coçar o local pois isso pode gerar manchas, cicatrizes e até mesmo uma infecção por bactérias (que são trazidas pelas unhas, quando se coça a região).

Pelos de animais:
Quando se fala em alergia a animais, muitos associam a causa do problema aos pelos. Mas aí está um dos principais mitos, pois na realidade o problema é o grande aumento de ácaros no ambiente, causado pela presença dos bichos. Isso ocorre porque, além de pelos, os animais soltam muita pele – e o ácaro, que se alimenta disso, procria rapidamente e contamina o ambiente. É recomendável evitar que ambientes com animais tenham muitos tapetes e móveis estofados e que os animais durmam no mesmo ambiente que a pessoa alérgica.

Sobre o Autor

Geisa Simonini

Uma escorpiana geniosa, brava e determinada. Estudei Administração e Marketing e sempre atuei na área comercial e de eventos. Tenho uma cabecinha cheia de idéias e adoro trabalhar com pessoas, afinal para mim, tudo que a vazio de pessoas não faz muito sentido. Sou doidinha por redes sociais e ligada 24 horas por dia, sabe aquela pessoa que não pára? Essa sou eu!
Mas se for para me resumir mesmo: Sou a mãe da Fernanda (e da Camille que ainda está no forninho) e da função de mãe nasceu esse blog onde compartilho com vocês nossas histórias, dia-a-dia e aprendizados

Publicidade

Parceiros

Siga-nos no Instagram

Voltar ao topo