Talline Sapatilhas
Uncategorized

10 dicas para estimular a fala do bebê

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×


O pequeno mal abre a boca e os pais já imaginam mil palavras, porém só com 6 meses as primeiras sílabas aparecem e com em média 12 meses vão ouvir mamãe ou papai!
Cada criança tem seu tempo, umas demoram mais, outros falam bem mais cedo, isso depende de inúmeros fatores e esta diferença de uma para outra é normal desde que não ultrapasse os limites, ou seja, uma criança com 2 anos já deve se comunicar, pode não formar frases mas já deve ter um vocabulário com algumas palavras. Caso isso não aconteça, aí sim se fará necesário o auxilio de um fonoaudiólogo.
É normal que existam erros de pronúncia mas eles devem ser sempre corrigidos e não estimulados!
Quer saber como você pode estimular a fala do seu filho? Nós temos algumas dicas!


A linha cronológica da fala segue a seguinte média:
– 0 a 3 meses – sons de vogais
– 4 a 6 meses – repetindo sílabas várias vezes
– 6 a 9 meses – mistura de sons
– 10 a 12 meses – Linguagem de bebê com palavras isoladas
– 10 a 18 meses – palavras perceptíveis completas e inicio das frases

Esta é uma média, que pode variar. Aqui a Fernanda falou cedo, com 5 meses já balbuciava bastante e antes de primeiro aniversário já ouvíamos papai e mamãe! A primeira palavra nítida foi batata e depois dela várias outras nasceram! Agora, com quase 2 aninhos ela fala tudo, forma frases, conversa e até argumenta rs
Ela é mega faladeira mas é comum que crianças com a mesma idade não formem frases com tanta facilidade, então caso seu filho sinta dificuldade nisso, fique tranquilo e estimule-o! Isso vai ajudar bastante!

1- Use sempre a pronúncia correta!
O bebê imita tudo que vê e também o que ouve, portanto sempre fale certo perto dele!

2- Fale naturalmente e corrija a pronúncia!
Não fale de forma infantilizada e nem no diminutivo. Ele deve se sentir parte da conversa entre as pessoas ao redor, portanto, é necessário que quando falar com ele fale de forma natural.
Não seja rude, nem o reprima por falar errado, mas sempre mostre-o a forma correta de falar: “Se o filho diz que quer beber ‘acá’ (água), a mãe deve responder: – Você quer água? Vou pegar água pra você”. “Com isso, a criança aprende a palavra certa, além de unir figura e palavra”.

3- Permita que ele veja seus lábios
Ele observando a forma com que você fala, será mais fácil aprender a falar. 
Sempre olhe para o bebê quando for falar com ele.

4- Tranquilidade
Não fale com o bebê com afobação, seja tranquilo. 
Transmitindo tranquilidade ele se sentirá mais seguro. O tom de voz é valioso, seu filho sente a alegria e a tristeza em sua voz.

5- Convivência com crianças
O bebê que convive com crianças frequentemente acaba falando mais cedo e com maior facilidade. É mais fácil imitar uma criança que um adulto!

6- Apresente-o ao mundo
Brincar com seu filho, apresentar à ele o mundo, objetos e lugares o ajudará a se auto estimular!
Mostre, aponte as coisas e diga o que são. Fale o nome das pessoas!

7- Desligue a TV
Ouvir os pais e cuidadores falando junto com a TV ligada irá confundir a cabecinha do bebê.
O ideal é ouvir uma pessoa de cada vez!

8- Fale, mesmo que ele ainda não entenda!
Fale com seu filho, converse, conte histórias… parece que isso não o ajuda em nada, mas pelo contrário, tem um valor imenso e irá ser o diferencial nessa fase!

9- Dê tchau para a mamadeira e a chupeta
Em outras fases estes acessórios podem ser mega úteis mas na hora de falar eles acabam atrasando um pouco o desenvolvimento do bebê. Portanto quanto antes forem deixados de lado, melhor!

10- Fique de olho, ou melhor, de ouvido atento!
Problemas auditivos também influem no desenvolvimento da fala. A criança com algum tipo de inflamação no ouvido, como a otite, por exemplo, costumam apresentar desatenção por não ouvir direito, o que dificulta no processo de aprendizagem das palavras.
Caso seu filho precise de sons altos para reagir pode ser um sinal de que a audição precisa ser verificada!

Sobre o Autor

Geisa Simonini

Uma escorpiana geniosa, brava e determinada. Estudei Administração e Marketing e sempre atuei na área comercial e de eventos. Tenho uma cabecinha cheia de idéias e adoro trabalhar com pessoas, afinal para mim, tudo que a vazio de pessoas não faz muito sentido. Sou doidinha por redes sociais e ligada 24 horas por dia, sabe aquela pessoa que não pára? Essa sou eu!
Mas se for para me resumir mesmo: Sou a mãe da Fernanda (e da Camille que ainda está no forninho) e da função de mãe nasceu esse blog onde compartilho com vocês nossas histórias, dia-a-dia e aprendizados

Publicidade

Parceiros

Siga-nos no Instagram

Voltar ao topo