Talline Sapatilhas
Uncategorized

O medo virou vontade! (Cesárea X Parto Normal)

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

Eu vejo o tempo todo mulheres que tiveram parto normal criticando as que tiveram cesárea. Gente, vamos com calma! Muita mulher não tem acesso a nenhuma informação e acha que só de ter um convênio está bem assistida! Muita mulher não tem o psicológico preparado pra se tornar mãe e ainda encontra tanta critica no caminho que pode acabar desistindo de vez da coisa!
Eu sou a favor do parto normal mas tambem sou a favor da cesarea, se ela não fosse boa em nenhum aspecto não seria praticada!
Claro, hoje em dia virou festa, e mais do que isso, parir virou artigo de comercio quem pagar mais leva, e os médicos ganham mais em uma cesarea!
Eu optei pela cesarea, foi EU quem escolhi… morria de medo, tinha pânico do parto normal e quando conto isso ninguém me pergunta o porque, apenas me critica!
Eu há alguns anos atrás, em plena a adolescencia tive um cisto no ovário esquerdo, segundo o meu médico um cisto que poderia ter me deixado estéril, o que graças a Deus não aconteceu.
Esse cisto “estourou” e a dor foi absurda…passei 12 horas sofrendo esperando o convênio (top de linha) autorizar minha cirurgia e me lembro como se fosse hoje uma sala inteira de cirurgia me dizer que era pra ficar calma, que a dor passaria com a anestesia e que quando eu fosse mãe a dor do parto seria 10 vezes maior. Maior? Desculpa eu não quero não!
Hoje, depois que a Fernanda nasceu de uma cesarea na qual eu não tive nenhuma dor e nenhuma complicação, meu médico foi um amor e respeitou todas as minhas colocações, minha recuperação foi…ops nem teve pq eu não senti nadinha de nada, eu tinha tudo pra dizer: Quero outro filho nascido de cesarea, mas não, mudei de opinião e acho que a dor não é nada daquilo que eu pensava, no próximo eu quero sim um parto normal.

Primeiro que afirmar mais uma vez que não estou incentivando nada, nem deixando de incentivar, estou apenas falando o que penso e sinto.

O mais importante pra mim é a segurança, se a mulher estiver segura tudo tende a ser melhor!
Se meu próximo filho vier daqui há alguns anos de uma cesarea, ok, vou me sentir tão mãe quanto vc que teve seu filho de parto normal, pq se pra vc ser mãe é parir, pra mim vai muito além disso, afinal tem tanta mulher que dá a luz de parto normal e joga o filho na caçamba não é?

Mas o meu medo virou vontade, sim!
Hoje eu já li muito mais, me informei muito mais e a maternidade em si me trouxe uma coragem absurda e me deu a vontade de sentir as dores de parto, as contrações e de viver a experiência do parto normal que é sim muito menos agressivo para o bebê.

Penso em um parto humanizado. Não passa nem de longe pela minha cabeça ficar horas e horas sozinha em uma sala de pré parto, gritando de dor, para depois ainda ter uma cesarea induzida por um médico cesarista. Eu quero é não marcar a data, esperar… ficar em casa até quando conseguir, segurar a mão do meu marido que me passou segurança na primeira vez e que tenho certeza que em uma segunda tb o fará. Quero ir pro hospital quando realmente for necessário, quero principalmente amamentar assim que meu filho nascer e quero que a Fernanda tenha contato com irmão assim que possivel!
A única coisa que reclamo do meu parto foi que só amamentei muito tempo depois que a fefe nasceu e ela chorava muito quando estava longe de mim, então não quero isso de novo!

Vou caminhar com essa idéia na cabeça e quando chegar a hora vou amadurecer junto com o Erick.

Ser mãe me tornou alguém melhor e quero repetir a dose da forma mais linda possivel!

E você? Qual sua experiência de parto?

Sobre o Autor

Geisa Simonini

Uma escorpiana geniosa, brava e determinada. Estudei Administração e Marketing e sempre atuei na área comercial e de eventos. Tenho uma cabecinha cheia de idéias e adoro trabalhar com pessoas, afinal para mim, tudo que a vazio de pessoas não faz muito sentido. Sou doidinha por redes sociais e ligada 24 horas por dia, sabe aquela pessoa que não pára? Essa sou eu!
Mas se for para me resumir mesmo: Sou a mãe da Fernanda (e da Camille que ainda está no forninho) e da função de mãe nasceu esse blog onde compartilho com vocês nossas histórias, dia-a-dia e aprendizados

Publicidade

Parceiros

Siga-nos no Instagram

Voltar ao topo