A MinhaLigthbox é um produto feito com exclusividade que vai deixar seu ambiente ainda mais perfeito!!
Desabafos Variedades

Toda menina pode ser heroína ou o que ela quiser! Vamos quebrar o estereótipo de gênero!

menina heroína
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×
Eis que uma menininha revoluciona a internet e ganha milhões de likes em redes sociais, simplesmente porque resolveu ser uma heróína e não uma princesa em sua festa de aniversário!
O povo achou fofo! Quer dizer… alguns acharam fofo, outros falaram que era absurdo e que ela TINHA QUE GOSTAR DE PRINCESA!
Não sei em qual time time você está, só sei que precisamos falar sobre isso!
Quem foi que disse que menina tem que ser bailarina ao invés de lutar judô?
Quem foi que disse que menina tem que ser princesa e não heroína?
Quem foi que disse que menino precisa jogar futebol e não pode gostar de volei?
Rosa para menina, azul pra menino e blá, blá, blá!
Onde foi que criamos tantos parâmetros para julgar o que é de menino e o que é de menina?

Já parou para pensar que essas coisas não partem das crianças? Que eles simplesmente querem um brinquedo, ou brincar, sem ter que pensar!?

Eu sei que a mídia, o marketing e tudo mundo por aí, vivem nos enfiando um monte de brinquedos para menino e brinquedos para meninos, de esportes de mulher e esportes para homens!
Para que?
Não existe necessidade disso!
 

Crianças são crianças e ponto final. 

O esteriótipo de gênero quem cria são os adultos.

A tal menininha que resolver querer uma festa do homem de ferro adorava personagens que salvavam as pessoas (e o mundo) e isso a levou a escolher o tema da festa!


AQUI Você pode ver o depoimento da mãe sobre a festa que rendeu milhares de compartilhamentos e curtidas no facebook!


Para acalmar o ânimo dos convidados e para explicar que a pequena Marina, poderia ser e brincar com o que ela quisesse, os pais, criaram um livro, que era a lembrança da festa.


A festa de Marina é só um exemplo perto de tudo que vemos por aí!


Já aconteceu por aqui, de a Fernanda entrar em uma loja de brinquedos e querer ver a sessão que é dedicada aos meninos e ouvir da vendedora: Não, a parte de meninas está ali!

A resposta foi: -Mas eu quero ver os heróis! Eles também são de meninas!
A vendedora ainda tentou argumentar dizendo que a princesas eram cor-de-rosa e mais bonitas e minha pequena respondeu que ela ama princesas, mas que também ama heróis e que os dois são legais! (Eba! Acho que estou no caminho certo!)
E o preconceito vem de perto, até o vovô já falou para ela que carrinho era de menino, quando a viu brincando com um que pediu ao papai. Demos uma lição no vovô, explicando que mulheres também gostam de carros e meninos também vão para cozinha! E no fim, o vovô que é mega “antigo” concordou com tudo que expliquei e acabou brincando de carrinho com a pequena.

Esses pequenos comentários desnecessários ficam na cabeça dos pequenos e acabam por facilitar a existência de adultos cheios de preconceitos e manias.


Nós devemos incentivar que as crianças podem ser o que elas quiserem! Isso influenciará positivamente na vida adulta, quando forem escolher suas profissões e formarem suas famílias.


Uma criança criada sem esta divisão de gênero, será um adulto mais tolerante e livre de preconceitos. Será um adulto mais seguro e corajoso!


Sei que muitos de nós fomos criados em um mundo onde meninas não podiam fazer várias coisas que meninos faziam e que meninos não podiam passar perto do rosa porque era cor de menina. Sei que isso é cultural e está por todos os lados na sociedade em que vivemos, mas se nós não começarmos a mudar isso desde já, nossos filhos vão continuar vivendo com barreiras, preconceitos e continuarão a acreditar que são limitados ao que a sociedade espera deles, quando, na realidade, eles podem ser muito mais!


Calma! Aos que demoram mais para entender, eu explico: Não estou dizendo para você encher sua filha linda, que você sonhou que seria princesa, de bonecos de heróis, carrinhos e roupas azuis…E também não disse para você sair montando o enxoval do seu filho com bailarinas e macacões cor-de-rosa. Estou tentando mostrar que essa liberdade existe, que você pode fazê-las, mas caso opte pelo que parece mais normal, seja aberto a entender que seu filho precisa saber que existem outras opções, e que, caso ele deseje ter algo “diferente” do que é normalmente proposto, ele pode e deve ter!

Deu para entender? Não estou dizendo que não temos meninos e meninas, ou mundos cor-de-rosas e de batalhas de super-heróis! Estou dizendo que estes mundos pertencem a quem quiser fazer parte deles.

É óbvio que as crianças acabam pendendo para o lado mais comum! E aqui em casa temos o exemplo disso: Uma menina que ama cor-de-rosa, adora princesas e é apaixonada por bonecas e cozinha!… mas esta mesma meninas sabe que pode ser a mulher maravilha, sabe que pode amar a Hulk e que pode ter carros e os tem!

A questão é que eles podem e DEVEM ser o que quiserem enquanto são crianças, para que depois eles sintam-se seguros para serem o que quiserem enquanto adultos.

Sobre o Autor

Geisa Simonini

Uma escorpiana geniosa, brava e determinada. Estudei Administração e Marketing e sempre atuei na área comercial e de eventos. Tenho uma cabecinha cheia de idéias e adoro trabalhar com pessoas, afinal para mim, tudo que a vazio de pessoas não faz muito sentido. Sou doidinha por redes sociais e ligada 24 horas por dia, sabe aquela pessoa que não pára? Essa sou eu!
Mas se for para me resumir mesmo: Sou a mãe da Fernanda (e da Camille que ainda está no forninho) e da função de mãe nasceu esse blog onde compartilho com vocês nossas histórias, dia-a-dia e aprendizados

Publicidade

Parceiros

Voltar ao topo