Uncategorized

A importância da cera de ouvido

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

A maioria das pessoas acredita que o cerume, popularmente conhecido como cera de ouvido, não tem nenhuma utilidade e, por isso, deve ser removido por completo. Mas isso não é verdade: a cera de ouvido pode ser muito importante para evitar o risco de infecções, especialmente nos pequenos. Pensando em reforçar a importância de realizar uma higiene segura da região do ouvido, YORK e o Dr. Ayrton De Magistris, doutor em patofisiologia, responderam as principais dúvidas sobre o assunto, para facilitar a rotina de limpeza do ouvido das crianças e também dos pais.

Segundo Dr. Ayrton, o cerume é produzido em pequena quantidade e, na maioria das vezes, sai espontaneamente do canal auditivo. A secreção forma uma barreira protetora que cobre e lubrifica o canal auditivo, e tem função antimicrobiana, devido ao seu pH levemente ácido, que ajuda a diminuir o risco de infecções. “A anatomia do ouvido é dividida em três partes: orelha externa, média e interna. O recomendado é fazer a higienização em casa apenas da parte de fora das orelhas, ou seja, aquela que se pode enxergar”, explica.

Confira abaixo algumas dúvidas frequentes sobre o assunto, respondidas pelo Dr. Ayrton, parceiro da marca:

Como deve ser feita a limpeza dos ouvidos no dia a dia?
Dr. Ayrton – A limpeza, que pode ser feita diariamente, se necessário, deve ser realizada apenas na parte externa da orelha, isto é, aquela que se pode ver pelo espelho se está suja. Em casos mais delicados, como em bebês e crianças pequenas, é recomendado utilizar as hastes flexíveis ou até algodões com muita leveza. Atenção, durante a higienização do ouvido, não se deve utilizar as hastes flexíveis dentro do conduto auditivo (a parte interna da orelha, que você não enxerga), para não machucar o ouvido.

E na região externa ao ouvido, como deve ser feita a limpeza?
Dr Ayrton – A estrutura externa, chamada pavilhão auditivo, produz uma gordura mais grossa que cobre todas as dobras e curvas do pavilhão. A região deve ser bem lavada e toda a oleosidade deve ser removida para evitar a proliferação de microrganismos que se oxidam e  promovem um mau cheiro característico. Principalmente nas crianças, é aconselhado o uso de hastes flexíveis que possuem melhor acesso, sem irritar os tecidos muito sensíveis. É importante também se atentar ao uso contínuo de brincos, que podem formar uma espécie de “crosta” de material orgânico que normalmente provoca irritação e alergia com uma coceira forte ou até uma infestação por fungos ou bactérias, provocando um foco infeccioso.

Devo fazer lavagem do ouvido com o intuito de limpá-lo?
Dr. Ayrton – Na maioria dos casos, não há necessidade. Na realidade, o próprio ouvido se protege fisiologicamente e vai expulsando a cera, a descamação da pele e as impurezas. Sendo assim, é necessário procurar um médico para que ele verifique se há excesso de cerume apenas no caso de sentir alguma dificuldade em escutar os sons, se estiver com algum desconforto na região ou com a sensação de ouvido entupido.

Existem pessoas que produzem cera de ouvido em excesso, nesses casos, o que fazer?
Dr. Ayrton – Sim, existem pessoas com uma produção exagerada de cerume. Não há outra opção senão visitar regularmente o consultório médico para fazer a remoção do excesso de cera. Embora a frequência dessas visitas varie de caso para caso, uma periodicidade de seis meses é recomendada de forma geral. O médico possui equipamentos e técnicas próprias para a remoção e tentar realizar o procedimento sem a ajuda de um profissional pode machucar o ouvido, causar infecções ou, ainda pior, perfurar a tímpano.

Aqui em casa eu sou mega sismada com os ouvidos e seco sempre com hastes flexíveis por fora, tanto os meus quanto os da Fernanda! Mas como morro de medo não fico cutucando não!
E por aí? Como funciona?


Sobre o Autor

Geisa Simonini

Uma escorpiana geniosa, brava e determinada. Estudei Administração e Marketing e sempre atuei na área comercial e de eventos. Tenho uma cabecinha cheia de idéias e adoro trabalhar com pessoas, afinal para mim, tudo que a vazio de pessoas não faz muito sentido. Sou doidinha por redes sociais e ligada 24 horas por dia, sabe aquela pessoa que não pára? Essa sou eu!
Mas se for para me resumir mesmo: Sou a mãe da Fernanda (e da Camille que ainda está no forninho) e da função de mãe nasceu esse blog onde compartilho com vocês nossas histórias, dia-a-dia e aprendizados

Publicidade

Parceiros

Siga-nos no Instagram

Voltar ao topo