A MinhaLigthbox é um produto feito com exclusividade que vai deixar seu ambiente ainda mais perfeito!!
Uncategorized

Ebola tem maior surto desde sua descoberta

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×
Ebola tem taxa de mortalidade de até 90%

Novo surto da doença chama a atenção das autoridades sanitárias em todo o mundo

A descoberta de novos casos de ebola deixou o mundo em estado de alerta. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), de março a agosto deste ano, já foram notificados 1.711 casos da doença. Até o momento, 932 pessoas vieram a óbito. Este é o maior surto de ebola já documentado e o primeiro que ocorre na África Ocidental, com casos já confirmados na Guiné, Libéria, Serra Leoa e Nigéria.


“A ebola é caracterizada pelo aparecimento súbito de febre e mal-estar, acompanhado de outros sinais e sintomas inespecíficos, como dores musculares e de cabeça, vômito e diarreia. Pacientes com formas graves da doença podem desenvolver sintomas hemorrágicos e disfunção de múltiplos órgãos, incluindo dano hepático, insuficiência renal e comprometimento do sistema nervoso central, levando ao choque e à morte. A ebola é uma doença grave e tem uma taxa de mortalidade que varia de 40% a 90%”, revela o infectologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo, José Ribamar Branco.

De acordo com o especialista, o vírus da ebola não é transmitido por via respiratória, como a gripe, e não contamina a água e os alimentos. “O contágio acontece pelo contato direto com o sangue, fluidos corporais e tecidos de animais ou pessoas infectados. Mesmo após o falecimento do doente, a contaminação ainda é possível, pois o vírus sobrevive até dois dias fora do hospedeiro”, alerta.

Embora seja uma doença grave, ainda não há um tratamento específico para a ebola. “Não foi desenvolvida uma vacina para prevenção da doença e, após o contágio, não é possível combater o vírus com medicamentos. A única maneira de evitar uma infecção e uma epidemia são medidas preventivas, como melhores condições de higiene pessoal e do ambiente, uso de luvas no cuidado com a pessoa infectada e a quarentena”, explica.

Para evitar que a doença se espalhe para outros países e continentes, autoridades da vigilância sanitária fazem a identificação de pacientes suspeitos que deverão ser colocados em quarentena, nas fronteiras. Nenhum caso foi confirmado no Brasil, até o momento.

Fonte: José Ribamar Branco, infectologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo.

Sobre o Autor

Geisa Simonini

Uma escorpiana geniosa, brava e determinada. Estudei Administração e Marketing e sempre atuei na área comercial e de eventos. Tenho uma cabecinha cheia de idéias e adoro trabalhar com pessoas, afinal para mim, tudo que a vazio de pessoas não faz muito sentido. Sou doidinha por redes sociais e ligada 24 horas por dia, sabe aquela pessoa que não pára? Essa sou eu!
Mas se for para me resumir mesmo: Sou a mãe da Fernanda (e da Camille que ainda está no forninho) e da função de mãe nasceu esse blog onde compartilho com vocês nossas histórias, dia-a-dia e aprendizados

Publicidade

Parceiros

Voltar ao topo