Uncategorized

17 de Agosto de 2012.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 0 Flares ×

 Ensaiei por mtos dias para escrever sobre o nascimento da Fernanda e nada de achar palavras que dessem idéia do que eu vivi naquele momento mas é tão dificil chegar perto de descrever o sentimento, a sensaçao e a emoçao de viver o nascimento da minha filha.

O medo e ansiedade foram dormir mas não acordaram comigo, fui pra maternidade calma, só tinha vontade de ver o rostinho da princesa, mas de resto, sabia que tudo ia dar certo.
E foi assim até começarem os procedimentos pré parto. O exame que mede os batimentos cardiacos do bebe foi a primeira parte e ficar 10 minutos deitada ouvindo o coraçao da Fernanda bater me deixou pensativa, aquele coraçaozinho que batia ali dentro de mim, logo estaria batendo nos meus braços e dependeria de mim pra tudo por um bom tempo, eu nãome perguntava se seria uma boa mãe, só pedia a Deus que me fizesse uma mãe da qual a Fernanda pudesse se orgulhar, por quem ela fosse apaixonada.
Dali, fui levada pra sala de pré parto, fiquei deitada, olhando pro teto, por quase uma hora, o Dr. Egidio se atrasou um pouco, o Erick tinha que esperar do lado de fora e meu coraçao palpitava, as pernas tremiam e quando a enfermeira me perguntou se eu estava nervosa, a resposta foi esta: Estou bem, só quero meu esposo! Parece que ele seria a minha segurança.
Ela me informou que ele só entraria quando o Dr. chegasse e eu fiquei esperando com o coraçao na boca!

A voz do meu médico soou como música, enfim era a hora da minha pequena nascer, pelas mãos daquele que escolhi para cuidar de mim e dela enquanto ela estivesse dentro de mim. E ele como sempre chegou com um sorrisinho de canto de boca, e me perguntou se eu estava preparada. Nao tinha como responder outra coisa, sim eu estava, mas novamente pedi pelo Erick e sem eu esperar ele respondeu: Seu gordinho está ali fora, simpatico e amoroso de mais esse gordinho!
E é mesmo, mais uma vez, antes mesmo da Fernanda nascer, eu agradecia Deus pelo pai que Ele deu pra minha filha. Não tinha duvidas de que ele seria o melhor pai pra ela.

Fui anestesiada, e desde a enfermeira, até a anestesista, fizeram de tudo para que eu me sentisse bem, uma equipe sensacional cuidava da gente naquele momento.

O Erick entrou, parecendo um catatau com aquela roupinha azul e sentou do meu lado. Ele ali segurando minha mão era o que eu precisava para que tudo fosse perfeito e assim foi.
Ele assistiu tudo, não quiz ficar atras do pano o tempo todo e viu a Fernanda sair da barriga da mamãe. Tenho inveja por ele ter visto, mas sei que sentir ela saindo de mim pra vida, é algo que nada substituiria.

As 8:51 eu ouvi uma chorinho, e foi impossivel conter as lagrimas, eu amava aquele chorinho, aquela vida
que eu gerei. E ela chorou, desesperadamente, até ser colocada ao meu lado, quando ficou quietinha, um silencio que me deixou paralisada, apaixonada, por aquela pessoinha toda inchada que acabava de nascer.
Impossivel não chorar, o papai que quase nao chora, estava com os olhos cheios, eu então, desabei… Sö uma coisa a dizer: Obrigada Deus, obrigada meu Deus, a minha filha é linda e saudavel!

Ela pesava 3.530k. e media 49 cm. quando nasceu. Para mim este era o tamanho do amor.

O Erick saiu da sala e eu fiquei ali sozinha, com a pediatra e a Fernanda, que vontade de pegar no colo, de não deixar ninguém tocar nela.

Em seguida ela foi levada para o berçario e eu fiquei na espera aguardando o efeito da anestesia passar, só assim poderia ir pro quarto e ver a Fernandinha de novo. Cada minutoera uma eternidade, não via a hora dos meus pés se mexerem, de poder ver o rosto do meu pai sabendo que era avo, de ver o Erick com acara de pai… e de ver a minha bonequinha.
Pedi tanto que o efeito passou super rapido! Fui levada pro meu quarto… sai daquele centro cirurgico, feliz, aliviada, realizada. Eu me tornei mãe!
Dali pra frente tudo iria mudar na minha vida e eu estava amando tudo, até a dor que agnt pode sentir tem valor… Nada, nada mesmo, paga esse momento. É unico, singular.

Sobre o Autor

Geisa Simonini

Uma escorpiana geniosa, brava e determinada. Estudei Administração e Marketing e sempre atuei na área comercial e de eventos. Tenho uma cabecinha cheia de idéias e adoro trabalhar com pessoas, afinal para mim, tudo que a vazio de pessoas não faz muito sentido. Sou doidinha por redes sociais e ligada 24 horas por dia, sabe aquela pessoa que não pára? Essa sou eu!
Mas se for para me resumir mesmo: Sou a mãe da Fernanda (e da Camille que ainda está no forninho) e da função de mãe nasceu esse blog onde compartilho com vocês nossas histórias, dia-a-dia e aprendizados

1 Comentário

Clique aqui para postar um comentário
  • Fiquei até com lágrimas nos olhos ao ler esse post! Linda a sua descricão! Imagino que seja realmente assim, em poucos dias já vou saber. Tenho a certeza de que a alegria vinda pela notícia da gravidez e agora a do parto são apenas as primeiras de infinitas que ela trará diariamente, em cada sorriso, para vocês!

Publicidade

Parceiros

Siga-nos no Instagram

Voltar ao topo